20/02/2015

Reconstrução Mamária - Virna Soledade

Antes












Última expansão com 350 ml em cada mama

Fazendo a última expansão com a Dra Cristina Destro.


Retirada dos expansores no dia 19-09


Dois dias de cirurgia com as próteses definitivas 400 ml cada. Feliz demais por mais esta vitória em minha vida.





"É PROIBIDA A REPRODUÇÃO DOS TEXTOS E FOTOS SEM A PRÉVIA AUTORIZAÇÃO"‏


Tenho um grupo fechado de apoio no facebook só para mulheres que tiveram Câncer de Mama , está em tratamento, familiares  e  mulheres que apoiam a causa.



Quem tiver interesse é só acessar o link abaixo que adiciono ao grupo.


Assista o vídeo no link  abaixo das participantes do grupo.



Meu vídeo da Reconstrução



Escreva aqui sua postagem

23/07/2013

Trabalho mais que reconhecido !!

Entrevista para o Inca.




Agradeço ao  imenso carinho dos meus leitores.

Beijos,
Virna Soledade


Escreva aqui sua postagem

09/07/2013

Meu Níver 09-07-2013

Hoje é o meu dia de festejar !!!

Festejo a minha luta, dedicação, fé e esperança.
3 anos atrás eu recebi a pior notícia da minha vida, que acabou por fim me transformando em uma pessoa melhor .
Divido com vocês as fotos tiradas hoje do meu aniversário de 3 aninhos de idade.









Beijos e fiquem com Deus.

Virna Soledade
Escreva aqui sua postagem

28/06/2013

Doença de Paget da mama

É um tipo de tumor que acomete a aréola e/ou mamilo, representando 0,5 a 4,3% de todos os casos de carcinoma mamário. Pode apresentar-se de forma assintomática ou associada à hiperemia e eczema. Existem duas teorias para explicar a origem da doença de Paget da mama. A teoria mais aceita sugere que as células tumorais crescem nos ductos mamários e progridem em direção à epiderme do mamilo. A outra teoria propõe que as células tumorais se desenvolvem já na porção terminal dos ductos lactíferos, na junção com a epiderme. A média de idade das pacientes acometidas varia entre 26 e 88 anos, mas o pico de incidência ocorre entre 60 e 70 anos de idade. Aproximadamente 85 a 90% dos casos apresentam associação com carcinoma in situ ou carcinoma infiltrativo.

Sinais e sintomas
A lesão clínica mais característica é a crosta. Ainda pode-se observar eritema, pele espessada, áspera e rugosa, pequenas vesículas, exsudação serosa ou sanguinolenta. A lesão pode evoluir para ulceração à medida que ocorre infiltração de células neoplásicas na epiderme, ocorrendo geralmente do mamilo em direção à borda da aréola. Também pode ocorrer secreção mamilar sanguinolenta. Inversão mamilar é rara, mas pode ocorrer em estágios mais avançados da doença. Outras queixas comuns são: dor, ardência e prurido.
Aproximadamente 50 % dos casos de doença de Paget ocorrem com massa palpável, quando, frequentemente, a doença está associada a um carcinoma infiltrante. Nesses casos, tem sido relatado comprometimento axilar em 45 a 66%. Nos casos sem nódulo palpável observa-se associação com carcinoma ductal in situ em aproximadamente 90% dos casos. Entretanto, mesmo na ausência de nódulo palpável, pode-se observar até 40% de associação com carcinoma invasor, com comprometimento axilar em 5 a 13%. Embora bastante raro, pode ocorrer em homens.
Diagnóstico
O diagnóstico é clínico, mas a avaliação por exames de imagem mamária é mandatória. Alterações mamográficas, como microcalcificações, massas, distorção arquitetural, retração mamilar e assimetrias, podem estar presentes em cerca de 50% dos casos. A ultrassonografia deve ser considerada, especialmente naqueles casos em que a mamografia é normal. E, a ressonância magnética pode servir como complementação à mamografia e à ecografia, em casos específicos. O diagnóstico pode ser obtido por raspado citológico ou biópsia das lesões suspeitas. Mas achados negativos podem não excluir a doença, e, muitas vezes, a ressecção cirúrgica completa da lesão suspeita faz-se necessária.
Tratamento
O tratamento deve seguir a mesma linha das outras formas de carcinoma de mama. A mastectomia foi historicamente reconhecida como tratamento padrão, mas atualmente a cirurgia conservadora tem sido considerada adequada para alguns casos, como por exemplo em casos de doença limitada ao complexo aréolo-mamilar, pacientes idosas, pacientes sem condições clínicas, ou aquelas que se negam a realizar mastectomia. A cirurgia conservadora será associada à radioterapia. A biópsia do linfonodo sentinela será indicada nos casos de mastectomia ou nas cirurgias conservadoras se o tumor adjacente for invasor. A indicação de quimioterapia e/ou hormonioterapia dependerá das características do tumor adjacente.
Considerações finais
A evolução da doença dependerá da presença de massa palpável, da presença de um carcinoma invasivo subjacente e/ou a presença de metástase axilar. O prognóstico das pacientes sem massa palpável é melhor se comparado com àquelas com massa palpável, o que pode ser explicado pelo fato de que lesões sem massa palpável representam geralmente processos não invasivos e intraepiteliais, enquanto uma lesão palpável é frequentemente associada a carcinoma invasivo. Cabe ressaltar a importância de consultas médicas e exames de imagem periódicos e a busca de uma nova avaliação na presença de algum sintoma suspeito.

Escreva aqui sua postagem

Câncer de Mama Masculino

O câncer de mama masculino é uma doença muito rara que acomete o tecido mamário dos homens
O câncer de mama masculino é uma doença muito rara que acomete o tecido mamário dos homens


Assim como as mulheres, os homens possuem glândulas mamárias e também estão propícios a apresentar o câncer de mama. Para cada cem casos de câncer de mama em mulheres, existe um caso de câncer de mama em homens, sendo um tipo de câncer muito raro e muito pouco estudado.
Estudos mostram que a média de idade dos homens acometidos pelo câncer de mama varia de 60 a 70 anos, concluindo que esse tipo de câncer tende a ser diagnosticado em idade mais avançada do que nas mulheres. Na maioria dos casos de câncer de mama masculino, a detecção da doença é feita em estágio avançado, o que dificulta o tratamento, podendo haver metástase e por vezes óbito. 
Assim como outros tipos de câncer, o câncer de mama masculino tem a sua causa ainda desconhecida, mas especialistas acreditam que alguns fatores podem desencadear a doença, como:

→   Fatores genéticos: algumas pesquisas mostram que alguns homens que apresentaram a doença têm histórico familiar de câncer de mama;

→   Fatores ambientais: alguns autores descrevem que esse tipo de câncer de mama está associado ao tipo de trabalho da pessoa, como trabalhadores que têm maior exposição a altas temperaturas, trabalhadores de indústrias químicas, de sabão e perfumes;

→   Fatores hormonais: o uso de hormônios pode causar hiperestrogenismo, que é uma desordem relacionada a hormônios sexuais, o que aumenta as chances de desenvolver o câncer de mama;

→   Outros fatores que podem desencadear a doença são: orquite, infertilidade, puberdade tardia, criptorquidia (não descimento de um ou dos dois testículos para a bolsa escrotal), hérnia inguinal congênita, orquiectomia (retirada cirúrgica do testículo, em virtude de, normalmente, processos tumorais), excesso de peso e dieta rica em gorduras.
Muitos casos de câncer de mama masculino são diagnosticados em estágio avançado em razão da não realização do autoexame, preconceito, ou até mesmo pela dificuldade que os profissionais de saúde têm de diagnosticar a doença, sendo que em alguns casos o nódulo foi sentido pela parceira do homem. Os sintomas do câncer de mama masculino são aparecimento de nódulo na região da auréola (bico do peito), secreções no mamilo, retração do mamilo, alterações no volume da mama e ulceração do mamilo.
O diagnóstico utilizado para detectar o câncer de mama masculino é feito através do histórico do paciente e de exames como mamografia, ultrassonografia e biópsia do tumor.
O tratamento do câncer de mama masculino dependerá do estágio do tumor, e poderá ser feito através de cirurgia, radioterapia ou quimioterapia.
É importante lembrar que esse tipo de câncer pode progredir e migrar para outros tecidos e órgãos em um processo que chamamos de metástase, podendo causar a morte do indivíduo.

Escreva aqui sua postagem